Cuidados de enfermagem com dreno de tórax

cirurgia dreno torax

Você quer saber quais são os principais cuidados de enfermagem com dreno de tórax?

Quer saber quais são as melhores práticas?

Então,  fique ligado neste guia prático que preparamos para você ficar por dentro de tudo sobre cuidados de enfermagem  com dreno torácico.

Preparado? Então, vamos lá!

O que é dreno de tórax?

Dreno de tórax é um cateter grande, inserido ao longo do tórax para remover fluídos, líquidos, sangue e ar da cavidade pulmonar.

Qual o objetivo do dreno de tórax?

A principal função do dreno de tórax é a retirada de líquidos, secreção e sólidos (fibrina) da cavidade pulmonar com objetivo de restabelecer a pressão negativa da atividade pleural, manter a função respiratória e a estabilidade hemodinâmica.

Para que é indicado o dreno de tórax?

O dreno de tórax pode ser utilizado no pós operatório em pacientes que passaram por cirurgia no mediastino, pacientes que sofreram traumas na região torácica por acidentes automobilísticos ou por acidentes por armas branca e de fogo, e também em paciente com enfisema pulmonar.

As principais indicações da drenagem torácica são:

  • Pneumotorax:  quando há acúmulo de ar na cavidade pleural;
  • Hemotórax:  quando há acúmulo de sangue na cavidade pleural;
  • Epiema pleural: quando há acúmulo de pus na cavidade pleural;
  • Hidrotórax: quando há acúmulo de líquido na cavidade pleural;
  • Quilotórax: quando há acúmulo de linfa na cavidade pleural.

Principais Materiais utilizados na implementação do dreno de tórax

materiais dreno torax

Para realizar o procedimento é necessário de equipamentos apropriados. Confira:

  • Sistema de drenagem torácica prescrito;
  • Fonte e equipamentos de sucção (sistema de parede ou portátil):
  • a) Sistema com selo d’água: adicione água estéril ou solução salina normal (soro fisiológico 0,9% – SF 0,9%) para cobrir os 2,5 cm inferiores do tubo “U” do selo d’água. Ou despeje água estéril ou SF 0,9% na câmara de controle da aspiração se a sucção for usada (veja as instruções do fabricante);
  • b) Sistema sem selo d’água: adicione um frasco de 30 a 45 ml de cloreto de sódio estéril ou água (para o indicador diagnóstico de vazamento de ar), seringa de 20 mL, agulha calibre 21 e compressa antisséptica;
  • c) Sistema de sucção a seco.
  • Luvas de procedimento;
  • Esponja de gaze estéril;
  • Anestésico local, se não for um procedimento de emergência;
  • Bandeja do dreno torácico (todos os itens são estéreis): Cabo de bisturi (1), pinça clampe do dreno torácico, pinças de esponja pequenas, porta-agulha, lâmina de bisturi n. 10, fios de suturas 3-0 de seda, forro de bandeja (campo estéril), clamples de Kelly curvos de 20 cm (2), esponjas de 10 x10 cm (10), tesoura de sutura, toalhas de mão (3), luvas estéreis;
  • Curativos: gaze de petrolato, curativos de drenos torácicos divididos, várias gazes de 10 cmx 10 cm, gazes grandes (2) e esparadrapo ou bandeja elástica de 10 cm;
  • Touca para cabelo;
  • Luvas estéreis;
  • Dois hemostatos com ponta de borracha (revestido) para cada dreno torácico;
  • Esparadrapo adesivo de 2,5 cm para fixar as conexões ou os fechos de plástico;
  • Estetoscópio, esfigmomanômetro e oxímetro de pulso.

Importante destacar que a colocação de dreno torácico é qualificado como um procedimento cirúrgico e invasivo, portanto é ato privativo do médico.

No entanto é de fundamental importância o auxílio da enfermagem para ser realizado a drenagem de tórax.

Cuidados de Enfermagem com Dreno de Tórax

cuidados de enfermagem dreno torax

O COREN-SP relacionou algumas boas práticas de enfermagem com cuidados com drenos de tórax, envolvendo a troca selo d’água, a troca do sistema de drenagem e desobstrução do dreno de tórax, confira:

Cuidados de Enfermagem na troca do selo d´água do dreno de tórax

  1. Preparar o paciente e a família sobre o procedimento a ser realizado;
  2. Higienizar as mãos;
  3. Organizar o material adequado para o procedimento;
  4. Abrir o recipiente de solução salina ou de água;
  5. Abrir o sistema de drenagem e deixá-lo em pé;
  6. Encher os frascos ou câmara em nível apropriado, até que o final da haste esteja 2 cm abaixo do nível do líquido ou até a linha de marcação a ser atingida;
  7. Se a aspiração for utilizada, despejar o líquido dentro do orifício de controle de aspiração até a quantidade designada ser alcançada usualmente 20 cm de nível de pressão de água;
  8. Calçar as luvas e conectar o sistema de drenagem ao dreno de tórax e à fonte de aspiração se esta for indicada;
  9. Conectar o dreno ao tubo de entrada de coleta de drenagem do frasco ou câmara;
  10. Manter as pontas dos conectores estéreis;
  11. Marcar o nível original de líquido com adesivo na parte externa da unidade de drenagem;
  12. Marcar a data e o horário no nível de drenagem.

Cuidados de Enfermagem na troca do sistema de drenagem do dreno de tórax

  1. Se estiver trocando o sistema de drenagem, solicitar ao paciente para inspirar profundamente, segurar o ar e abaixar-se levemente enquanto o sistema está sendo trocado de modo rápido;
  2. Pinçar o dreno por alguns minutos enquanto realiza a troca;
  3. Se a indicação da drenagem for devido a presença de pneumotórax, pinçar o dreno por período mínimo, apenas para a troca do frasco;
  4. Se for indicado, conectar o tubo de controlede aspiração da câmara para a fonte deaspiração;
  5. Ajustar o regulador de fluxo de aspiração até notar um suave borbulhamento na câmara de controle de aspiração;
  6. Desprezar as luvas e materiais descartáveis;
  7. Administrar analgésico prescrito;
  8. Colocar o paciente em uma posição confortável;
  9. Checar se a posição dos sistemas de drenagem e do sistema de aspiração estão abaixo do nível do tórax;
  10. Não fixar a extensão do dreno no berço ou na cama do paciente;
  11. Cuidar e orientar a família para que o frasco de drenagem seja mantido em nível inferior ao tórax da criança;
  12. Observar a oscilação da câmara de selo d’água;
  13. Suspeitar de vazamento de ar se houver borbulhamento e o paciente não apresentar pneumotórax.
  14. Checar a segurança das conexões do dreno;
  15. A cada seis horas marcar a drenagem na coleta da câmara/frasco;
  16. Monitorar o sistema de drenagem por oscilação no controle de aspiração da câmara;
  17. Checar a flutuação do selo na câmara de água com as respirações.

Cuidados de Enfermagem na desobstrução do sistema de drenagem do dreno de tórax

  1. Para ordenhar, segurar o dreno próximo ao tórax e ordenhá-lo entre os dedos e a palma da mão.
  2. Mover a outra mão para a próxima porção mais baixa do dreno e ordenhar.
  3. Soltar a primeira mão e mover para a próxima porção do dreno. Continuar em direção ao frasco de drenagem.
  4. Para comprimir colocar lubrificante nos dedos de uma mão e apertar com força o dreno de tórax com os dedos da outra mão.
  5. Apertar o dreno abaixo da porção comprimida, com os dedos lubrificados e escorregar os dedos para baixo em direção ao sistema de drenagem.
  6. Lentamente soltar o pressionamento dos dedos não lubrificados e então fazer o mesmo com os dedos lubrificados.
  7. Repetir uma ou duas vezes, notificar se não conseguir limpar os coágulos do dreno.
  8. A cada seis horas monitorar: curativo do dreno, adequação do tipo de fita, quantidade e característica dos sons respiratórios, sinais de enfisema subcutâneo.
  9. A cada quatro a seis horas, monitorizar sinais vitais.

Entre na nossa Lista e Receba Conteúdos Exclusivos

Assine nossa Newsletter grátis!

Fique tranquilo, seu e-mail está completamente SEGURO conosco!

Avaliação

Após a implementação do dreno de tórax no paciente é recomendado avaliar os seguinte pontos:

  • O sistema de drenagem do paciente está desobstruído e funcionando;
  • O paciente continua sem sinais e sintomas de sofrimento respiratório e de complicações relacionadas ao sistema de drenagem torácica;
  • O paciente expressa alívio adequado da dor, pouco a pouco, aumenta a tolerância à atividade e demonstra compreender a necessidade da sonda torácica.

Outra etapa muito importante, e que o enfermeiro precisa ficar atento, é a anotação de enfermagem. 

O que enfermeiro deve anotar nesse tipo de procedimento?

Anotações de Enfermagem Dreno de Tórax

anotacoes de enfermagem

Confira as recomendações do COFEN para Anotações de Enfermagem Dreno de Tórax.

  • Data e hora do procedimento;
  • Local da inserção do dreno;
  • Aspecto da pele no local da inserção;
  • Aspecto e característica da secreção drenada – serosa, hemática, purulenta,
    com sedimentos;
  • Volume drenado;
  • Volume do selo d’água;
  • Oscilação;
  • Troca e tipo do curativo;
  • Troca do frasco;
  • Intercorrências e/ou providências adotadas – contaminação do material e/
    ou sistema, desconexão acidental, etc.;
  • Nome completo e Coren do responsável pelos procedimentos.

Se você quiser saber mais sobre Anotações de Enfermagem, veja este artigo.

Mas, não para por aí!

Quer mais dicas valiosas?

Não fique de fora, confira mais boas práticas relacionadas ao dreno de tórax.

Boas Práticas por Pamela Lynn

boas praticas dreno torax

Assegurar que sempre haja junto ao leito garrafa de água esterilizada ou de solução salina fisiológica.

Jamais colocar pinças em drenos torácicos, a não ser para trocar o sistema de drenagem.

Quando a sonda torácica, acidentalmente, se desconectar do sistema de drenagem, colocar a extremidade do dreno na solução estéril.

Isso evita a entrada de mais ar no espaço pleural, por meio do dreno torácico, mas permite que qualquer ar que entre no espaço pleural pela respiração saia logo que a pressão se acumular.

Ter sempre e com acesso fácil duas pinças com pontas emborrachadas e mais material de curativo junto ao leito se necessário.

Se o paciente apresentar pneumotórax pequeno, com pouca ou nenhuma secreção, e não for usada a aspiração, o dreno pode ser conectado a uma válvula de Heimlich.

A válvula de Heimlich é câmara a prova de água, que possibilita a saída de ar, mas não sua entrada, no dreno torácico. Confirmar que a válvula aponte na direção certa.

A extremidade azul deve estar conectado ao dreno torácico e a extremidade limpa deve ficar aberta, como respiradouro. A seta no envoltório indica afastamento do paciente.

Manter o sistema de drenagem torácico ereto e mais baixo que o nível do local de inserção do dreno. Isso é necessário para o funcionamento adequado do sistema e para auxiliar a drenagem.

Encorajar o uso de um espirômetro de incentivo, quando prescrito, e/ou respiração profunda e tosse frequentes pelo paciente. Isso ajuda a drenar os pulmões, promover a expansão pulmonar e evitar atelectasia.

Conclusão

Cuidados com drenos de tórax fazem parte do dia a dia de muitos enfermeiros.

O objetivo deste artigo é servir como um guia rápido e completo sobre Cuidados de Enfermagem com Dreno de Tórax.

Neste artigo você aprendeu as principais etapas dos cuidados de enfermagem com sistema de drenagem torácica, abrangendo os seguintes pontos:

  • O que é dreno de tórax;
  • Qual a sua função;
  • Em que casos é indicado;
  • Quais são os principais cuidados de enfermagem;
  • Quais são as principais anotações de enfermagem;
  • O que deve ser avaliado;
  • Boas práticas.

Dreno de tórax é procedimento que requer bastante cuidado e atenção.

Portanto, é muito importante que enfermeiro esteja sempre atualizado com as melhores práticas para não cometer nenhum deslize.

Gostou? Quer se aprofundar mais sobre o assunto?

O canal medicina traduzida compartilhou um vídeo incrível explicando o passo a passo da implementação do dreno de tórax.

Lembrando, novamente, que no Brasil a implantação do dreno de tórax é uma atividade privativa do médico.

Confira o vídeo e bons estudos 🙂

Referências

LYNN, Pamela. Manual de habilidades de Enfermagem Clínica de Taylor.

POTTER. Guia completo de procedimentos e competências de enfermagem.

COREN. Anotações de Enfermagem.

COREN-SP. Boas práticas com drenos de tórax.

Aproveite e conheça os cursos de Graduação, Pós-graduação e Extensão em Enfermagem da Faculdade Atualiza, saiba mais clicando aqui.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *